ARTIGOS
A atuação do nutricionista como professor em instituição de ensino superior

Publicidade
Ensinar é muito mais que apenas transmitir informações. Assim como aprender é mais do que simplesmente absorver o que foi ensinado. Um docente de uma instituição de ensino superior (IES) deve ser capaz de se moldar a uma grande variedade de discentes, o que significa se ajustar a novas experiências, estilos e atitudes para aprender, inclusive insegurança, excesso de confiança, ansiedade, medo, preconceito e falta de motivação.

O professor ou docente é aquele que ensina uma arte, uma ciência, uma disciplina, uma técnica. O docente é a figura central em todo processo de aprendizado. Esse profissional deve passar pela capacitação pedagógica que valorize os atos reflexivos e propicie maior conhecimento do campo da educação, permitindo repensar o fazer docente com criticidade, inovação e criatividade, à luz de uma nova realidade.

A Resolução nº 380/05, do Conselho Federal de Nutricionistas (CFN), coloca que compete ao nutricionista, no exercício de suas atribuições na área da Docência, dirigir, coordenar e supervisionar cursos de graduação em Nutrição; ensinar matérias profissionais dos cursos de graduação em Nutrição e das disciplinas de Nutrição e Alimentação nos cursos de graduação da área de saúde e outras afins.

Para realizar as atribuições definidas, no âmbito do ensino, da pesquisa e da extensão, o nutricionista deverá desenvolver as seguintes atividades obrigatórias:

· Planejar, organizar e dirigir as atividades técnicas e administrativas do ano letivo;

· Planejar, organizar, dirigir, participar e controlar atividades de ensino, pesquisa e extensão;

· Responsabilizar-se pela orientação e supervisão acadêmica (monitoria, estágios curriculares e complementares, iniciação científica, entre outros);

· Orientar e/ou assistir aos alunos em suas atividades complementares;

· Promover, participar e divulgar estudos e pesquisas na sua área de atuação;

· Elaborar o plano de trabalho anual, contemplando os procedimentos adotados para o desenvolvimento das atribuições;

· Orientar e supervisionar estágios curriculares;

· Conhecer o projeto pedagógico do curso e o programa das disciplinas;

· Encaminhar ao coordenador de curso os relatórios, avaliações e informações periódicas, bem como mantê-lo permanentemente informado sobre o desenvolvimento das atividades acadêmicas;

· Registrar as ocorrências técnicas e disciplinares com o objetivo de garantir a qualidade no desenvolvimento das atividades;

· Avaliar as atividades dos alunos, informando-os periodicamente sobre seu desempenho;

· Estimular permanentemente no aluno uma postura ética, por ações e/ou exemplos;

· Colaborar com as autoridades de fiscalização profissional.


E ficam definidas como atividades complementares do nutricionista para realizar as atribuições definidas no âmbito do ensino, da pesquisa e da extensão:

· Planejar, organizar e/ou participar de eventos científicos promovidos pela instituição de ensino superior (IES);

· Participar de colegiados acadêmicos vinculados ao ensino, pesquisa e extensão;

· Participar de grupos e comissões de trabalho.

Para conseguir executar essas atribuições e fazer os alunos aprenderem de maneira eficaz é necessário que o professor identifique alguns aspectos importantes em sala de aula. O professor precisa saber se comunicar com os alunos de modo adequado e com eficiência, verificar as habilidade de cada aluno e trabalhar para que este consiga desenvolvê-las satisfatoriamente, encorajar a criatividade dos alunos, ensina-los a melhor forma de escrever e se comunicar, estimular seu interesse pela sua disciplina (mostrar ao aluno a parte prática), promover a integração entre os alunos e gostar do que faz. O nutricionista deve contemplar com sabedoria todos esses atributos na atividade de docência.


Serviço:
(*) Dra. Liliana Paula Bricarello é nutricionista; Mestre em Ciências aplicadas a Cardiologia pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP/EPM); especialista em Nutrição em Cardiologia pela Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp); especialista em Distúrbios Metabólicos e Risco Cardiovascular pelo Centro de Extensão Universitária (CEU); especializanda em Bioética pelo Centro Universitário São Camilo; docente do curso de graduação em Nutrição e do curso de pós-graduação em Nutrição Clínica do Centro Universitário São Camilo; vice-diretora do Departamento de Nutrição da Socesp; e conselheira do CRN-3 - Comissão de Ética e Comissão de Formação Profissional - Triênio 2005-2008.

Fonte: Dra. Liliana Paula Bricarello*
  
Publicidade/Links patrocinados
SAIBA MAIS...
 
 
Sobre o Portal Nutrição  Fale conosco  Anuncie
©2004 . Todos os direitos reservados.